A batalha tem sido contra uma Inteligência Artificial e os seus escravos humanos

Benjamin Fulford, 18 de Junho de 2012

Como diz o velho clichê, a verdade por vezes é mais estranha que a ficção. Evidências empíricas demonstram que a atual crise financeira tem sido causada por uma inteligência artificial. Esta inteligência artificial nasceu de um sistema monetário que não foi baseado na realidade, mas era parasita da realidade.

É por isso que a maioria das transações no mercado financeiro hoje em dia são realizadas por computadores e não por humanos. É por isso que estão tentando eliminar todos os negociantes humanos da Chicago Mercantile Exchange. É por isso que uma pequena elite humana ainda vivem uma vida astronomicamente rica e têm estado a promover o uso de drones e robotoids para substituir soldados humanos que já não obedeciam ordens. É por essa razão que tantos jovens estão reduzidos à escravidão e ás drogas pela elite e alguns estão fugindo para a realidade virtual.

Bem, a realidade desferiu um contra-ataque fatal contra a matriz monetária conhecida por alguns como Satanás.

Conforme mencionado anteriormente, a intensa cobertura da mídia sobre a ”crise financeira” e a ”crise europeia” ignorou o elefante na sala. O que aconteceu é que as pessoas que produzem coisas reais no mundo real não estão mais prestando homenagem à besta financeira em Wall Street e City of Dondon, e os escravizadores de mentes no Vaticano e os valentões em Washington D.C. Continuar a ler

Anúncios

A Conspiração do Imperialismo Britânico

Por Henry Makow Ph.D.

30 de Maio de 2004

Teóricos da Conspiração como eu acreditam que a história moderna reflete uma conspiração de longo período por uma elite financeira internacional para os fins de escravizar a humanidade.

Como homens cegos examinando um efefante, nós atribuímos essa conspiração aos Sionistas, Illuminati, Vaticano, Jesuítas, Franco-maçons, Nobreza Negra e Bildersbergs etc.

Os verdadeiros vilãos estão no coração de nossa vida econômica e cultural. Eles são as famílias dinásticas que dominam o Banco da Inglaterra, o Federal Reserve Bank e cartéis associados. Eles também controlam o Banco Mundial e o FMI e a maioria das agências de inteligência do mundo. Sua identidade é secreta, mas os Rothschild certamente é uma delas. O Banco da Inglaterra foi “nacionalizado” em 1946 mas o poder para criar dinheiro se manteve nas mesmas mãos.

A Inglaterra é de fato uma oligarquia dirigida pela “Coroa” que refere-se a “Cidade de Londres” não a Rainha. A Cidade de Londres é dirigida pelo Banco da Inglaterra, uma corporação privada. A Cidade é um estado localizado no coração da grande Londres. O Vaticano do mundo financeiro, a Cidade não está sujeita à lei Britânica ou internacional. Continuar a ler

Dialética Hegeliana: Nova Ordem Mundial Illuminati

CMI Brasil

Resumo da notícia da revista Time, de 25/5/1992, “A Chat with the Gorbatchevs”, pg 51.

“Nada sobre a visita triunfal de duas semanas de Mikhail Gorbatchev aos EUA sugere que ele seja um político removido do poder. Os americanos … o receberam com ovações… Embora sua visita aos EUA tenha sido para angariar fundos e fazer contatos para …. a Fundação Gorbatchev, ela também serviu para apresentá-lo aos estadistas, cujos pronunciamentos terão repercussões em todo o mundo. Seu tema é um corolário de sua própria Perestroika: o mundo inteiro precisa de uma mudança e de uma reorientação… Gorbatchev não foi forçado a admitir que a teoria socialista falhou ou que o comunismo morreu. Uma alternativa entre capitalismo e comunismo estará sendo oferecida em um futuro próximo ….”

A maioria de vocês provavelmente está balançando a cabeça, confusa com essa notícia, não percebendo que ela contém uma das maiores admissões na história do mundo moderno! No entanto, qualquer aluno da conspiração Iluminista da Nova Ordem Mundial, saberia imediatamente o que Gorbatchev quis dizer quando afirmou “uma alternativa entre capitalismo e comunismo estará sendo oferecida em um futuro próximo”.

Ao considerarmos a afirmação de Gorbatchev com cuidado, vemos que ele nos disse que existem três sistemas de governo, dois atualmente constituídos e um por vir. Ele especificamente menciona o comunismo e o capitalismo como atualmente estabelecidos no mundo, mas afirma que um terceiro, ainda sem nome definido, será implantado, que não será nem comunista nem capitalista. Continuar a ler

10 Razões pelas quais o dólar como moeda global está prestes a chegar ao fim

The Economic Collapse

O dólar dos EUA passou a ser referência em todo o mundo como a principal moeda global. Durante décadas, o uso do dólar tem sido absolutamente dominante no comércio internacional. Isso resultou em enormes benefícios para o sistema financeiro dos EUA e possibilitou o governo dos EUA exercer tremenda influencia ao redor do globo. Mas há grandes mudanças no horizonte. Os principais meios de comunicação têm sido silenciosos sobre isso, mas algumas das maiores economias do mundo têm vindo a fazer acordos entre si para se livrar do dólar. Instituições internacionais como a ONU e o FMI emitiram relatórios sobre a necessidade de se afastar do dólar em direção a formação de uma nova moeda internacional. Assim, o reinado do dólar como moeda de reserva mundial está definitivamente terminando, e a mudança vai ter enormes implicações para o sistema financeiro mundial. Continuar a ler

Massacre no Afeganistão: Mulheres e crianças são assassinadas

(CMI)  No Afeganistão militares norte-americanos violaram mulheres antes de assassiná-las. Notícias russo-iraniano – Iranian Press TV – diz que 20 soldados estão envolvidos no massacre.

Mais uma vez a imprensa mente descaradamente e sonega informações importantes à opinião pública sobre mais um massacre de civis indefesos no Afeganistão por parte das tropas invasoras. Testemunhas afirmam que cerca de 20 soldados estavam bêbados e rindo do massacre. Continuar a ler

Governo dos EUA admite que Forças Armadas obedecem à ONU e à NATO

Por BrasiL Indomável

Durante a audiência do comitê de Serviços Militares do Senado americano, em 7 de março de 2012, o secretário de Defesa ao Congresso dos EUA, Leon Panetta, e o chefe do Estado Maior, General Martin Dempsey, escancaradamente admitiram que a autoridade de declarar guerra não é exclusiva do Congresso americano (artigo I, seção 11 da Constituição – exceto em casos de resposta a um ataque real e iminente contra o território americano), mas que os Estados Unidos são subservientes e recebem ordens de ação militar das Nações Unidas e da NATO, que são organismos internacionais sobre os quais o povo americano não tem nenhuma influência democrática.

Assista ao trecho da audiência do Senado em que Panetta admite que a soberania dos EUA está entregue aos organismos internacionais, veja aqui

Por André o’Zaca

O testemunho de Panetta, afirmando que a ONU e a OTAN têm autoridade suprema sobre as ações das Forças Armadas americanas, palavras que efetivamente declaram que o Congresso é apenas uma instituição cerimonial, fez com que o representante (equivalente a deputado federal) Walter Jones introduzisse uma resolução reafirmando que tal comportamento é um “crime grave e sujeito a um processo de impeachment”, de acordo com a Constituição dos EUA.

Apesar dos esforços do Pentágono de alegar que as palavras de Panetta foram mal interpretadas, o governo tem citado frequentemente a autoridade das Nações Unidas em relação à invasão do ano passado na Líbia, a qual foi conduzida sem aprovação do Congresso. Em carta ao Congresso, Obama disse que o ataque militar foi “autorizado pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

Este posicionamento de Panetta, colocando poderes internacionais acima do poder legislativo americano, demonstra abertamente que eles não mais representam o povo daquele país e sim a interesses globalistas, o que abre caminho para a instituição de uma ditadura global e de um exército mundial que desrespeitarão a soberania de qualquer país do planeta. Mais informações aqui.

Fonte: BrasiLIndomaveL

Saiba mais:

Simbologia Illuminati em Notas de Dólar

A mudança no poder financeiro está quase completa: Nova Ordem Mundial

Já é matematicamente impossível liquidar a dívida dos EUA

China: Ascensão e Queda: A História e o Futuro

James Petras 3 de junho de 2012

Tradução: Google

Introdução: O estudo do poder mundial tem sido marcada por historiadores Eurocêntricos que têm distorcido e ignorado o papel dominante desempenhado pela China na economia e tecnologia mundial entre 1100 e 1800.

John Hobson [1] pesquisador brilhante sobre a história da economia mundial durante esse período oferece uma abundância de dados empíricos provando a superioridade econômica e tecnológica da China sobre a civilização Ocidental durante a maior parte do milênio antes de seu declínio no século 19.

O reaparecimento da China como potência econômica mundial levanta questões importantes sobre o que podemos aprender com sua ascensão e queda e sobre as futuras ameaças internas e externas que confrontam esta superpotência econômica emergente. Continuar a ler