Guerras do Ópio: A fonte de riqueza de David Sassoon e Rothschilds

A posse britânico de 99 anos de Hong Kong terminou em Julho de 1997 e permitiu a volta da região sob o controle da China comunista. Centenas de artigos de jornal e relatórios de TV deram cobertura ao evento, mas não revelou como a Inglaterra obteve o controle de Hong Kong! A verdade está enterrada na história da família de David Sassoon e seu monopólio sobre o comércio de ópio na China que tornou Sassoon o judeu mais rico do mundo.

Hong Kong – Centro de distribuição de Drogas de Sassoon

David Sassoon nasceu em Bagdá, Iraque em 1792. Seu pai, Saleh Sassoon, era um rico banqueiro e o tesoureiro de Ahmet Pasha, o governador de Bagdá. (Tornando-o “tribunal judeu” – uma posição muito influente.) Em 1829 Ahmet foi derrubado devido à corrupção e à família Sassoon fugiu para Bombaim, na Índia. Esta região era a rota comercial estratégica para a Índia e porta de entrada para o Extremo Oriente. Em um breve tempo o governo britânico concedeu direitos de “monopólio” para Sassoon de toda a manufatura de produtos de algodão, seda e mais importante de todos – Opium – então a droga mais viciante do mundo!

A Enciclopédia Judaica de 1905, afirma que Sassoon expandiu seu comércio de ópio na China e para o Japão. Ele colocou seus oito filhos a cargo dos principais mercados de ópio na China. Segundo a Enciclopédia Judaica de 1944: “Ele empregou apenas os judeus em seus negócios, e onde quer que eles residissem mandava construir sinagogas e escolas para eles. Ele importou famílias inteiras de judeus… E os colocou para o trabalho.”

Os filhos de Sassoon estavam ocupados empurrando essa droga que destroi a mente humana em Cantão, China. Os comerciantes britânicos traficavam-no ilegalmente para a China e muitas vezes forçavam os cidadãos chineses a consumir as drogas provocando dependência, auferindo grandes lucros e aumentando o volume do comércio de ópio em geral. Entre 1830 – 1831 eles traficaram 18.956 caixas de ópio e ganharam milhões de dólares. Parte dos lucros foi para a rainha Victoria e o governo britânico. No ano de 1836, o comércio aumentou para mais de 30.000 caixas e anos mais tarde, chegou a ponto de o país importar 450 toneladas, ou seja, um grama (dose suficiente para provocar vício) para cada um dos 450 milhões de habitantes da China na época, a toxicodependência em cidades costeiras, tornou-se endêmica.

Em 1839, o imperador Manchu ordenou que fosse interrompido a venda de ópio. Ele nomeou o comissário de Cantão, Lin Tse Hsu, para liderar uma campanha contra o ópio. Lin apreendeu 2.000 caixas de ópio de Sassoon e as jogou no rio. Indignado David Sassoon exigiu que a Grã Bretanha retaliasse. Assim, as Guerras do Ópio iniciaram-se com o exército britânico lutando junto com mercenários da família de traficantes de Sassoon. Eles atacaram as cidades e portos bloqueados. O Exército chinês, com seus soldados dizimados por 10 anos de vício de ópio galopante, não se mostrou páreo para o exército britânico. A guerra terminou em 1839 com a assinatura do “Tratado de Nanquim.” Isto incluiu disposições especialmente destinadas a garantir a Sassoons o direito de escravizar uma população inteira com o ópio. O tratado de paz “incluía estas disposições:” 1) completa legalização do comércio de ópio na China, 2) a indenização de 2 milhões de libras das reservas de ópio confiscado por Lin, 3) a soberania territorial para a Coroa Britânica de várias ilhas designadas.

Sassoon usou o exército britânico para drogar uma nação inteira

O Primeiro-ministro britânico Palmerston escreveu ao Comissionado da Coroa, capitão Charles Elliot que o tratado não foi o suficiente. Ele disse que o tratado deveria ter sido rejeitado, porque: “Afinal, o nosso poder naval é tão forte que podemos dizer ao imperador o que queremos dizer. Devemos exigir a liberação de ópio na China continental como um produto de comércio legal e aumentar os pagamentos de indenização e o acesso britânico a vários adicionais portos chineses. ” Assim, não só a China teve de pagar a Sassoon o custo de sua dependência do ópio, mas também reembolsar a Inglaterra com uma soma inédita de 21 milhões de libras para o custo da guerra!

Isso deu os direitos de monopólio de Sassoon para distribuir ópio em cidades portuárias. No entanto, mesmo isso não era bom o suficiente para Sassoon que exigiu o direito de vender ópio em todo o país chinês. Os chineses Manchus resistiram e então o exército britânico atacou novamente na “Segunda Guerra do Ópio entre 1858-1860. Palmerston declarava que toda a China interior devem ser abertas ao tráfego inlimitado e ininterrupto de ópio. Os britânicos sofreram uma derrota no Forte Taku, em Junho de 1859, quando seus marinheiros, com ordens de cercar os fortes, ficaram encalhados no porto atolados na lama. Várias centenas foram mortos ou capturados. Furioso Palmerston, disse: “Vamos ensinar uma lição para essas hordas pérfidas que o nome Europa significa ser um passaporte para o medo “.

Em outubro, os britânicos cercaram Pequim. Quando a cidade caiu, o comandante britânico Lord Elgin, ordenou que os templos e outros santuários sagrados na cidade fossem saqueados e queimados até o chão como uma demonstração de absoluto desprezo para com os chineses. No novo “Tratado de Paz” de Oct.25 de 1860, aos britânicos foram atribuídos direitos de comércio de ópio expandindo vastamente a área abrangendo sete-oitavos de China (87,5% do território chinês), que trouxe mais de 20 milhões de libras em lucros somente em 1864. Nesse ano, os Sassoons importaram 58.681 caixas de ópio e em 1880 tinha disparado para 105.508 caixas e tornou Sassoon o mais rico dos judeus no mundo. A península de Hong Kong foi dada a Inglaterra como uma colônia bem como uma grande parte de Amoy, Cantão, Foochow, Ningpo e Xangai. Os Sassoons agora estavam licenciados nos negócios de ópio em cada área que os britânicos ocuparam com grandes taxas sendo recolhidas pelos seus agentes judaicos. No entanto o governo britânico não iria permitir que qualquer quantidade de Ópio fosse exportada para a Europa.

Direitos de monopólio arrasa Lancashire, Inglaterra

Sir Albert Sassoon, o mais velho dos filhos de David Sassoon assumiu os negócios da família no império britânico. Ele construiu enormes fábricas têxteis em Bombaim, Índia com trabalho escravo para pagar salários miseráveis. Esta expansão continuou após a Primeira Guerra Mundial e acabou colocando as industria de tecelagem de Lancashire, na Inglaterra, fora do negócio com milhares de operários britânicos perdendo seus empregos. Esse fato não impediu a Rainha Victoria de nomear Albert Sassoon cavaleiro em 1872.

Salomão Sassoon se mudou para Hong Kong e comandou o negócio da família até sua morte em 1894. Mais tarde, toda a família se mudou para a Inglaterra, porque com as comunicações modernas poderiam operar o seu império financeiro dos seus imóveis de luxo em Londres. Eles se socializaram com a realeza e Albert Edward Sassoon casou com Aline Caroline de Rothschild em 1887, que ligava a sua fortuna com a dos Rothschilds. A Rainha também, nomeou Edward Sassoon cavaleiro. Todos os 14 netos de David Sassoon foram feitas oficiais do exército britânico durante a Primeira Guerra Mundial e, assim, a maioria foi capaz de evitar o combate e de ser enviado para a guerra.

A fortuna de Franklin Delano Roosevelt foi herdada de seu avô materno, Warren Delano. Em 1830, ele (Warren Delano) era um sócio sênior de Russell & Company. Foram navios de sua frota mercante, que transportava o ópio de Sassoon para a China e voltava para a América com o chá da Índia.

Warren Delano mudou-se para Newburgh, NY em 1851, sua filha Sara se casou com um vizinho, James Roosevelt – o pai de Franklin Delano Roosevelt. Ele sempre soube a origem da fortuna da família, mas sempre se recusou a discutir o assunto.

O comércio de ópio de Sassoon protegido pelo governo britânico trouxe morte e destruição para milhões de chineses e posteriormente em muitos outros países e ainda assola o mundo inteiro nos dias de hoje. Podemos afirmar que o tráfico de drogas é uma invensão britânica!  A monarquia corrupta da coroa Britânica honrou a familia Sassoon com privilégios e a cavalaria – para futura desgraça da Coroa! Hoje em dia, nas enciclopédias modernas os Sassoons estão nos livros de história como “grandes desenvolvedores” da Índia, mas a fonte de sua vasta riqueza nunca é mencionada!

Traduzido de : http://newsfromthewest.blogspot.com/2009/02/jews-created-opium-trade.html

Tradução: lhas3126@yahoo.com.br

150 anos após guerra do ópio China executa britânico por tráfico de drogas

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown se declarou perplexo. “Condeno essa execução com a máxima firmeza. Estou escandalizado e decepcionado por nossos persistentes pedidos de clemência não terem sido atentidos”, afirmou, em comunicado. Em resposta, Pequim defendeu o seu sistema judicial. (Revista Veja)

Nota do editor:
Diz um provérbio chinês: Que vivas Tempos Interessantes! é uma expressão muito popular  nos EUA associada a uma antiga maldição chinesa. Seja como for, o sentido que lhe é atribuído é que os “tempos interessantes” são períodos de mudança, incerteza, riscos e conflitos, daí a subtil maldição.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s